Como o design escandinavo virou tendência

É difícil saber exatamente quando o estilo nórdico e os costumes escandinavos viraram tendência. Parece que, por estarem no ranking global de felicidade, as pessoas começaram a prestar atenção nesses países, conforme afirma Helen Russell no comentário do post de ontem.

Mas por que agora?

Em minha opinião, vejo muitas conexões entre os resultados das pesquisas de tendências, de diversas marcas e segmentos, com o estilo de vida nórdico.

Na CERSAIE 2015 [Salão Internacional da Cerâmica para a Arquitetura e Construção, Itália], a maioria dos lançamentos se focou em produtos com superfícies que apresentaram algum tipo de textura. O toque que remete à lembrança de materiais macios e quentes – como os tecidos – transmite o sentimento de aconchego e acolhimento.

aconchego

Muito foi dito nesse sentido na palestra Pantone Interior View 2016. Dos nove grupos de tendências para este ano, pelo menos cinco se identificam com os elementos nórdicos: uso de cores orgânicas e materiais naturais, ambientes sem afetação e com alto poder de relaxamento, que permitem o encontro de um tempo para si.

O mundo está em crise e as pessoas, inseguras e carentes. O ser humano está em busca da alegria: poder sorrir mais; encontrar a verdadeira felicidade nas relações afetivas; conectar-se com os outros e nós mesmos. Soa familiar?

Se você vai à Dinamarca, a busca termina em pouco tempo. As pessoas sorridentes e saudáveis que circulam de bicicleta pelas ruas bem tratadas e seguras de Copenhague são uma cena que impressiona e eleva a alma de forasteiros.

A alegria está no ar.

Parque Superkilen, projetado pelo escritório de arquitetura BIG.

Parque Superkilen, projetado pelo escritório de arquitetura BIG.

Eles aproveitam cada momento do dia. Inclusive, o horário de trabalho termina mais cedo justamente para que possam usufruir o tempo de lazer com a família. A quantidade imensa de mães, mas principalmente pais, passeando com carrinhos de bebê é impressionante. E não importa se está fazendo 0°C. Eles saem para encontrar com amigos em cafés aconchegantes e fazer algum lanche enquanto colocam a conversa em dia.

Lá você não se sente dominado pelo medo ao caminhar à noite, como acontece em tantas cidades brasileiras. Tampouco vê pessoas aflitas, como em metrópoles como Nova York, andando apressadamente com celulares colados aos ouvidos e laptops prontos a ser ligados em qualquer parada num café. Até o trânsito funciona como uma orquestra, com muita calma, respeito e silêncio – ninguém buzina. É diferente.

OK, mas não posso ficar indo para o norte da Europa e nem morar lá. Como faço pra trazer esse estilo pro meu cotidiano?

Amanhã vamos ver algumas ideias!

No Comments Yet.

Leave a Reply